post-header }

O METRON Blog

A Inteligência Artificial e Big Data revolucionam a eficiência energética - Les Echos

Press

20/mai/2019 17:06:59

post_blog_Les EchosA análise das massas de dados não é apenas para direcionar os consumidores na Internet. Atualmente ajudam também a reduzir o consumo de energia das fábricas, escritórios e redes de eletricidade e gás. O começo de uma revolução? Num estudo de 2018, a Precepta afirmou que o mercado das soluções de eficiência energética ainda está longe de atingir todo o seu potencial.

Fundada em 2013 por Vincent Sciandra, a METRON é uma das start-ups que antecipou a tendência. Destinada às indústrias, a sua plataforma recolhe dados de fábricas através de sensores, e, graças à AI, destaca as alavancas de economia de energia. Em pleno crescimento, a empresa com 85 funcionários conta com cerca de cem clientes industriais, gerando 6,5 milhões de euros em vendas em 2018, dos quais três quartos são feitos no exterior. Em 2019, as vendas devem ultrapassar os 8 milhões, impulsionadas pela parceria recentemente assinada com o grupo de serviços de energia Dalkia, que gere mais de 2.000 unidades industriais.

Ferramentas de apoio à decisão

A METRON não é um caso isolado. As soluções que colocam os dados a serviço da economia de energia estão a atrair um interesse crescente nas empresas industriais ou  serviços que procuram minimizar os seus custos. A progressão fenomenal das capacidades de computação mudou tudo. «Isto permite-nos ir muito mais longe na análise de dados», afirma Benjamin de Buttet, cofundador da DCbrain. Criada em outubro de 2014, a start-up de Paris recupera os dados gerados pelas redes físicas de energia (eletricidade, gás, vapor...), visualiza a sua atividade em tempo real e, sobretudo, formula recomendações operacionais para cada caso. «Isto é o que mais interessa aos nossos clientes, cerca de quinze atualmente incluindo a Dalkia, GRDF, Enedis e Orano. Graças à aprendizagem automática e profunda, podemos simular cenários e propor novos modos de ajuste », prossegue Benjamin de Buttet. A DCbrain, que emprega 30 pessoas, espera triplicar o número de clientes em 2019 antes de atacar o mercado internacional em 2020. Aproveitando o Big Data, estas soluções destacam também anomalias anteriormente indetetáveis. «É aí que fazemos a diferença: a capacidade de identificar novos projetos de intervenção que geram em média uma economia de 10 a 20%», acrescenta Vincent Sciandra (METRON). Os mais recentes avanços tecnológicos no processamento de dados fornecem informações atualizadas que serão usadas para construir modelos preditivos. Esta é a razão de ser da Kayrros, uma empresa francesa cofundada em 2016 por Antoine Rostand, ex-Schlumberger. «Até agora, as informações disponíveis para as companhias petrolíferas ou comerciantes chegaram com bastante atraso», explica o responsável, que ambiciona trazer mais transparência ao setor e, principalmente, as ferramentas para a tomada de decisão. Utilizando imagens de satélite e dados recolhidos da Internet e das redes sociais, a Kayrros fornece previsões de confiança, até seis meses para os participantes do mercado de petróleo e gás. A empresa com 150 pessoas, que arrecadou 35 milhões de euros desde a sua criação, possui agora cerca de 60 clientes em todo o mundo.

O potencial do mercado de eficiência energética encoraja a recente criação de start-ups na análise de dados. Uma das mais promissoras, a Likewatt, tem vindo a desenvolver uma plataforma há cerca de um ano que permite websites industriais ou terciários reduzir o seu consumo de eletricidade e otimizar a sua solução de armazenamento de energia. Com sede em Lyon, a recente empresa fundada por Chady Kharrat, ex-engenheiro de pesquisa da EDF, passou pelo CEA, iniciou uma prova de conceito com Serfim ENR, subsidiária do grupo de obras públicas Serfim. Planeia realizar testes com o Intermarché em setembro de 2019.

 

Fonte: The Echos : https://www.lesechos.fr/thema/articles/ia-and-big-data-revolutionnent-lefficacite-energetique-1018611

Entre em contato com nosso especialista em energia!

Fale com um especialista em energia